22 de março de 2011

Para John Keats

John Keats
Meus versos, nunca chegarão a tal genialidade e arte como os versos de John Keats, nascido em outubro de 1795 na Inglaterra é considerado hoje um dos maiores poetas do período romântico, estudou medicina, mas abandonou para se dedicar inteiramente a poesia; seus primeiros livros não foram bem aceitos pela crítica o que o levou a grande frustrações, morreu aos 25 anos de idade, de tuberculose, alcançando a fama, aclamado pela crítica, e depois de ter vivido um grande amor; Foi assim que conheci John Keats, em 2010, o filme "Brilho de uma paixão" (no original Bright Star, nome de uma de suas poesias dedicada à sua amada) nos conta a história de amor vivida pelo poeta e sua vizinha, a costureira Fanny Brawne, com a qual vive momentos de ternura e paixão, assim Keats, cria um imaginário poético envolvido pela intensidade de seus sentimentos, infelizmente a paixão não pôde ser vivida em toda sua totalidade, pois o poeta acaba adoecendo de turbeculose o levando à morte, e deixando os braços vazios de sua amada, apenas molhados por lágrimas.
Fanny Brawne
Keats, me inspirou verdadeiramente, principalmente poesias como "Estrela Brilhante" e "A bela dama sem piedade" (ambas escritas para Brawne) e ofereço estes versos simples e humildes, dedicados não somente à ele como também ao seu amor vivido ao lado de Fanny Brawne.





Entre as flores do jardim
Encontrei-o calmo e sereno
Contemplava o lago
Com os olhos distantes
Perdido em seu devaneio.
Fiquei ali
Por entre os galhos das árvores
Observando-o
Decorando cada detalhe de seus lábios
Cada uma de suas expressões
Eu suspirava de amor
Perdida na imensidão de sua presença
Flutuando em seu universo
Não preciso de rimas para amá-lo
Apenas proclamar
Na brisa suava todo meu amor
Ah...como eu o amo
E em seu devaneio, ele nem imagina
O quanto é amado

Ábia Costa


Nenhum comentário:

Leia também

Related Posts with Thumbnails