29 de maio de 2010

Se Eu Morresse Amanhã (Álvares de Azevedo)


Se eu morresse amanhã, viria ao menos
Fechar meus olhos minha triste irmã,
Minha mãe de saudades morreria
Se eu morresse amanhã!
Quanta glória pressinto em meu futuro!
Que aurora de porvir e que manhã!
Eu perdera chorando essas coroas
Se eu morresse amanhã!
Que sol! que céu azul! que doce n’alva
Acorda ti natureza mais louçã!
Não me batera tanto amor no peito
Se eu morresse amanhã!
Mas essa dor da vida que devora
A ânsia de glória, o dolorido afã...
A dor no peito emudecera ao menos
Se eu morresse amanhã!

Um comentário:

Renato Hemesath disse...

Oi querida!
Como estás?

Ah eu compactuo de alguns noções que este texto nos permite elaborar, "a dor no peito emudecera ao menos" não há muito o que contestar não é mesmo?

Ótima semana prá ti, beijos!

Leia também

Related Posts with Thumbnails