23 de abril de 2011

Um estranho em minha vida, por Ábia Costa

Para Dimas, com carinho

Salvador Dali - Monstro Nemico

Seu sorriso desconhecido
Suas mãos nunca tocadas
Seu olhar vago, ainda não visto
Apenas sua voz ouvida                                                     
Seu intelecto vasto
És um estranho em minha vida
Estranho tão habitual
Onde posso encontrar amparo
Para chorar minhas lágrimas
Onde posso despir meus anseios
E revelar os mais recônditos desejos
Vagando, te encontro
Sentado, escrevendo...
Eu apenas sento ao seu lado
E em silêncio compartilho meus segredos
E minha busca demasiada
Em ser amada
E tu, estranhamente entendes
Porque compartilhas do mal que padeço
És tão estranho e tão comum
És tão comum e tão estranho
És os opostos que se completam em mim.


Um comentário:

F. D. Oliver disse...

Geralmente é o contrário, mas parece que enfim servi como muso de inspiração de alguém (rs). Acredito que, com este poema, você acabou por revelar meu rosto, mas do que eu próprio poderia um dia revelar a você. Beijos, te adoro. ;)

Leia também

Related Posts with Thumbnails